sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Intermed

(Para matar a saudades dos que foram, tentar explicar aos que nunca terão essa oportunidade e, essencialmente, motivar aqueles que possuem a chance de ir, mas por motivos invariavelmente incompreensíveis, ainda não foram)



QUEM GOSTA DE PUTARIA DÁ UM GRITOOO!!! Fon fafon fafon fafon......
Deitado aqui no sofá de casa, num fim de tarde chuvoso, a roquidão da voz e o cansaço mortal que me impede de caminhar 3 metros até a cozinha para apanhar um copo d´água me asseguram do quão proveitoso foi esse tal de intermed sul, evento anual que proporciona aos estudantes de medicina desta região do país alguns dias de competições, festas e muita, muita diversão.
Desta vez o intermed aconteceu na saudosa Cascavel, no interior paranaense, terra de meu grande amigo, mestre Marchewicz (ou Chicão, para seus conterrâneos). Por experiências prévias, e pelo amor que tenho à vida (este amor possui duas interpretações válidas, a primeira, por reconhecer o potencial do evento, de proporcionar momentos ímpares e inesquecíveis, e a segunda porque ao mínimo indício de pretensões de não ir ao intermed, sou seriamente ameaçado de morte pelos demais moradores aqui de casa) evidentemente que estive lá, tendo a oportunidade de vivenciar muitas das presepadas que seguirão este prenúncio.
A cronologia dos acontecimentos pouco importa, pois por motivos de alcoolismo maior, terei poucas testemunhas para atestar sua veracidade. Mas o fato é que na ida, quando da parada dos nossos ônibus para a janta, eis que encontramos uma universidade adversária. Em número ridiculamente menor, apática e particular, a tal faculdadezinha foi humilhada por nossa delegação que, do alto dos bancos e mesas do restaurante, ensurdeceu a delegação rival, as familias, os funcionarios locais, e até uma freira (Irmã Eulália, eu a conheci depois) que estavam presentes, jantando tranquilamente antes da invasão e que tiveram o privilégio de ouvir nosso coro empolgado cantando: MÉDICO PRA CÁ, ENFERMEIRO PRA LÁ, MÉDICO PRA CÁ ENFERMEIRO PRA LÁ... Seguimos viagem após sermos expulsos do restaurante pelo batalhão de choque da cidade.

AHH, É O INTERMED E EU TO PELADO, AHH, É O INTERMED E EU TO PELADO!!....Esse é um dos estribilhos que todo mundo canta e quase ninguém leva a sério no Intermed. Quase.
Em verdade, quase ninguém hoje em dia se importa muito de ver outrém seminu, desde que escondam as partes íntimas. Subvertendo a lógica, alguns perspicazes companheiros de turma resolveram mostrar apenas o fundamental. Para uns, mostrar apenas o contorno através de uma fantasia de super-herói, de tamanho apropriado para crianças de 10 a 12 anos foi quase sempre o suficiente. Houve quem duvidasse do tamanho do contorno e, segundo boatos, acabaram se arrependendo.
Alias não quero estragar a surpresa de ninguém, mas antes que passem por situações desconfortáveis, do tipo daquelas em que a menininha comportada vai mostrar um álbum de fotografias com os momentos de confraternização da sua turma de faculdade para a família toda num churrasco e de repente aquela tia solteirona pigarreia e cutuca a menina com o cotovelo, perguntando o nome do menino do canto direito, e a menina descobre um detalhe ao lado da orelha do cara que está agaixado imediatamente à esquerda do tal sujeito indagado pela tia e vira a página do álbum de supetão. Deem uma checada geral nas fotografias em que aparecem os rapazes da 07.2. É apenas uma sugestão.

FEDERAL TÁ CHEIA, TÁ, TÁ, TÁ, TÁ, TÁ, CHEIA DO QUE.....
Agora, para quem não foi, um pouco do que vivi, do que vi, e do que não vi no Intermed, algumas das quais muito me orgulho, por mais estranho que pareça:
- Uma pessoa recebendo uma nota de um real de esmola, rasga a nota, come a nota e apaga um cigarro com a boca na sequência.
- Uma pessoa tentando incendiar o cabelo de um indivíduo da torcida adversária com um isqueiro durante um jogo de handball.
- Uma pessoa que foi levada para o hospital por bebedeira, e ao ser indagado pela quantidade de bebida ingerida, responde ´´mais de vinte baterias´´.
- Uma pessoa vomitando verde na porta do alojamento, sendo incentivado por pessoas alheias que cantavam ´´Não pára, não pára, não pára´´ ou ´´só mais um pouquinhooo, só mais um pouquinhooo´´
- Uma pessoa chorando pelo êxito de sua faculdade, emocionada por ver sua equipe campeã em sua ultima participação no intermed.
- Uma pessoa fazendo uma cesta de 3 pontos no final do basquete feminino.
- Um grupinho envolvendo gente de quase todas as fases do curso, dançando no meio do alojamento até a hora do café da manhã.
- Um grupinho sentado numa garagem, tomando cerveja, comendo churrasco e falando abobrinha....

Na realidade, cada um tem seu próprio Intermed, vivencia determinadas situações e guarda na memória momentos-chave. Aposto que se cada um que lá esteve se animasse a escrever sobre ele, teríamos a impressão de que foram vários eventos aleatórios, com uma pequena conexão qualquer entre si. Da minha parte, o que posso dizer é que volto deste intermed com uma sensação muito boa, orgulhosíssimo pelos amigos que tenho, pela atitude e presença de espírito que mostraram possuir, e por ter pessoas como eles para dividir esses tais momentos-chave.
....MARADOONAAAA, DIEGO ARMANDO MARADOONAAAAA...

10 comentários:

Maíra disse...

Pedro, me diz que foto é essa pelamor! euaheuaheuaheua
Adorei! :)

camilinha disse...

acho q é uma foto da festa q teve aqui em casa... ehiuehieuh
e eu acho q a musiquinho no final tinha que ser: MARADOOOONAAAAAAAAA, RONALDO MARADOOOOONAAAAAA! =)

julian disse...

Sobre este evento memorioso: indescritível em sua totalidade, cada um tem uma percepção da realidade, que em 99,1% dos casos é distorcida pelo álcool, quem sabe pela inversão circadiana(p<0,01)
São coisas do Intermed: batalha de gritos, som 25h/dia sem parar, filas e mais filas pra banheiros e refeitórios, felicidade ao existir papel nos "in"sanitários" ou ao menos água gelada saindo dos chuveiros, ganhar da UFPR no handebol, ver a 7.2 destruir no Judo, Tênis, ajudando com medalhas no atletismo...sem contar as brincadeiras baseadas na infância como pega-pega, esconde-esconde (aqui melhor dita não-esconde)
Ver numa mesma pessoas midríase com anisocoria, nistagmo e torpor. Ver padres voando! Figuras pitorescas como Dona Vera perdendo o pudor em todos os locais pensáveis e inimágináveis! Acordar com o alojamento vazio sem saber qnd foi que vc dormiu, nem quanto tempo se passou desde então, nesse meio tempo sentir um frio tremendo até ser avisado que fomos campeões!!!

Na verdade ficar relembrando só me faz ter um pansamento. Pode parecer coisa pra louco, um sofrimento pro corpo, mas os momentos vividos nesse tal Intermed são tão intensos que td se torna uma...MARADOONAAAAAA, RONALDO MARADOOOOONAAAAAAAAAAAA...

Fernando Teco disse...

Fala Pedrão...

Em algumas palavras você resumiu a sua sensação da INTERMED, que pode ser totalmente distinta de outras pessoas que chega ao ponto de ser questionado se é a mesma "festa" que se trata !

Ja participei de 5 das minhas 6 possiveis, esse ano em Santa Rita eu não pude ir, mais é uma coisa sensacional, algo pra contar ao nossos filhos, e vão ser assuntos para o resto de nossas vidas, experiencias que jamais serão esquecidas, só quem faz medicina pra saber o prazer de uma INTERMED.

Muito bom o blog, PARABÉNS...
Abraços
TRA-CA-TRAAAAA

Manu disse...

Apesar de já conhecer essa, fiz questão de ler de novo. Mto boa! Como a Maíra, to curiosa pra saber que foto é essa. Hahahah
É mto difícil descrever o que é o intermed.
A gente vai pra lá sabendo que vai sofrer em filas, como disse o Ju, que vai ter condições de higiene precárias, correr o risco de voltar sem voz, ter o mínimo de horas necessárias para ficar de pé, mas mesmo assim, no ano seguinte, estamos lá outra vez... Felizes da vida! Hehehehe

Manu disse...

* de horas de sono

Marchewicz disse...

intermed é simplesmente historico
é absurdo
é ali q tu demonstra o amor pela tua universidade
e é ali q tu tem noçao de qnto medico tem nesse brasil
aeuaheuiaehuiaeae
e é ali q tu para e pensa
pqp esse eh a elite intelectual do sul do pais??????
eahaeiuhaeuiaehuaiehae
intermed eh foda!!!

andré disse...

hehehehe,
esse intermed viu,
haha
abraço

Felps disse...

Ouvi falar que foi muito bom...
Essa foto ae vai vir a tona? Haha
Gostei da crônica kra! Boa perspectiva do intermed!
Abração.

Arthur disse...

Prefiro não comentar sobre o fato.. reza a lenda que o que acontece lá, fica lá!
Vá saber!!
abraçoo

Seguidores

Quem sou eu

Médico da atenção básica de Sombrio - Santa Catarina. Escreve para o site da prefeitura, neste blog e eventualmente em outro veículos. Estuda filosofia. Toca violão e alguns outros instrumentos, nenhum verdadeiramente bem.